Medula óssea

Campanha consegue centenas de doadores em Santa Rita do Araguaia

Karine Borges/DA REPORTAGEM

A primeira campanha para o cadastro de doadores de medula óssea realizada em Santa Rita do Araguaia (GO) atingiu 561 voluntários. A ação ocorreu na Unidade Básica de Saúde (UBS) Joaquim Borges dos Santos, localizada na Rua Ademar Gomes Paes, bairro Vila Nova. A campanha buscou encontrar doadores em toda a região sudeste de Mato Grosso e Sudoeste do estado de Goiás. Este esforço contou com a parceria da prefeitura do município, Rotary Clube e a Casa da Amizade, e ocorreu nos dias 28 e 29 de abril.

Organizadores se surpreenderam com participação do público. (Foto: Prefeitura de Santa Rita)

Para a doadora Luciene Alves Melo, de 33 anos, auxiliar de serviços gerais, a campanha a sensibilizou porque ela viu a possibilidade de ajudar alguém, sobretudo crianças.  “O que me fez vir aqui me cadastrar como doadora de medula óssea foi o fato de gostar muito de crianças. Eu ficaria muito feliz ao ajudar uma, por isso fiz o cadastro”.

De acordo com a coordenadora de Capacitação do Hemocentro de Goiás, Neuraci Ferreira, de 40 anos, qualquer pessoa que não teve câncer e que esteja entre 18 e 55 anos pode ser um doador. Para a realização do cadastro os interessados preenchem uma ficha informando dados básicos, como identidade, data de nascimento, endereço, telefone, CPF e e-mail e em seguida são submetidos a uma coleta de cinco mililitros (ml) de sangue.

Conforme a coordenadora, a partir disso os doadores passam a proporcionar esperança a quem precisa, através do banco de dados do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome), ligado ao Instituto Nacional do Câncer (Inca). Em caso de compatibilidade, o possível doador será chamado para fazer outros exames. Sendo confirmada esta semelhança, o próximo passo é autorizar a doação.

 

Compatibilidade

A coordenadora também alerta que uma em cada 100 mil pessoas é compatível com um doador, e por isto a importância de conscientizar a população sobre a doação. Pois existem pacientes diagnosticados com leucemia em todo o país que estão à espera de doações na esperança de uma nova vida, sendo que o doador pode colaborar mais de uma vez. A leucemia é um grupo de cancros que surge geralmente na medula óssea e causa número elevado de glóbulos brancos, que não estão desenvolvidos por completo e são denominados células leucêmicas.

 

(Imagem: Prefeitura de Santa Rita)

 

Transplante

Segundo o integrante do Rotary Clube e secretário de Saúde de Alto Araguaia, Carlos Alberto de Lima Pessoa, 43 anos, o procedimento para o transplante de medula óssea é realizado de duas maneiras. A primeira por punção da veia periférica, para a filtração das células-mãe e células progenitoras através de um aparelho ou puncionando a medula diretamente da cavidade do osso. O outro procedimento é parecido com a doação de plaquetas de sangue.

Antes o doador recebe um medicamento que estimula a produção de células brancas progenitoras imaturas, que migram da medula óssea para as veias. Cinco dias depois o sangue passa por uma máquina, a de diálise, que o filtra para coletar as células. Em média quatro horas de filtragem bastam para conseguir a quantidade necessária de material que será processado e levado para o paciente que precisa do transplante.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s